PRINCÍPIOS DE MORDOMIA CRISTÃ

Amados Irmãos, Saudações em Cristo,

Durante muito tempo, a palavra “mordomia” tornou-se popularizada pelos meios de comunicação de massa, como uma denúncia ao uso abusivo das regalias adquiridas no exercício de alguma função pública. Neste caso, a palavra é utilizada para designar o mau mordomo, o mau administrador do dinheiro alheio.
Biblicamente, a mordomia diz respeito à consciência que o crente deve ter de que tudo quanto possui é um bem proveniente de Deus, o qual deve ser administrado fielmente, estando o crente certo de que a qualquer momento será chamado para prestar contas com o Senhor. Na Bíblia, encontramos:  “Do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam (Sl-24.1). Também diz: “Minha é a prata, e meu é o ouro, disse o Senhor dos Exércitos” (Ag-2.8).
Não poderíamos compreender o princípio da mordomia cristã, sem atentarmos para o significado das seguintes palavras: Capataz, Despenseiro e Mordomo. Mordomo é o título dado a um administrador de fazenda, não sua, mas de outrem. Despenseiro é a forma como é chamado um escravo que tem aos seus cuidados a chave da despensa da casa de seu senhor. Mordomo é o escravo que tem sob sua responsabilidade a administração da casa do seu Senhor; ele é como um “chefe de cerimonial”.
Portanto, se nós somos propriedade de Deus, temos deveres para com Ele. Desse modo, devemos agir como mordomos fiéis, entregando ao Senhor o nosso tempo, nosso corpo e nosso dízimo, nossos bens, nosso dinheiro e os nosso talentos. Enfim, devemos, dedicar a Ele tudo o que temos e tudo o que somos, para honrá-lo como nosso Senhor.
No Estudo da Mordomia, encontramos a do TEMPO, do CORPO, dos DÍZIMOS e dos TALENTOS. Neste artigo refletiremos um pouco a respeito da Mordomia do Tempo. Vejamos o que diz a Bíblia: “Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o Senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo? Bem aventurado aquele servo que o Senhor, quando vier, achar servindo assim. Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens. Porém, se aquele mau servo disser consigo: o meu senhor tarde virá, e começar a espancar os seus conservos, e a comer, e a beber com os bêbados, virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera e à hora em que ele não sabe, e separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas: ali haverá prato e ranger de dentes. (Mt-24.45-51 e Lc-12. 35-48).
Primeiramente, para que a mordomia do tempo seja proveitosa e usada dentro dos princípios da mordomia cristã, devemos reconhecer que Deus é o Senhor do tempo. Por conseguinte, a administração deste se torna para nós a administração do tempo de Deus. Administramos o tempo de Deus quando somos administrados por Ele.
Às vezes, por falta de prioridade para as coisas de Deus, o espaço dentro do tempo não é suficiente, as horas passam, os trabalhos se amontoam e as coisas saem erradas. Jesus fez referência à necessidade de planejamento abordando duas parábolas: uma sobre construção, e outra sobre uma guerra. (Lc-14.28-32). Devemos fazer a obra daquele que nos chamou das trevas para a luz enquanto é dia, pois a noite vem quando não podemos mais trabalhar. Usemos nosso tempo para nos envolver com a Obra do Senhor, orando, pregando o Evangelho, ofertando, dizimando, amando nosso próximo, principalmente nossos irmãos.

Pr. Ismael Menezes
ADMC - Pastor Auxiliar