“IDE! AS NAÇÕES ESPERAM POR SUA PALAVRA."
ESTEJA PRONTO, DEUS CONTA COM VOCÊ.
( Tiago 2.8,9)

O Espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; Isaías 61:1 

 Isaias, cujo significado é “Javé salva”, teria vivido entre 765 a.c a 681 a.c., na época em que os assírios representavam uma ameaça a destruição de Samaria e a Resistência de Jerusalém ao cerco das tropas de Senaqueribe que sitiou a cidade com um exército de 185 mil assírios em 701 a.c.. 

No ano 738 foi chamado ao Ministério profético mediante uma célebre visão (cap. 6) que teve imensa repercussão na teologia e na liturgia. A partir de então vemo-lo ao lado dos reis de Judá, Acaz e Ezequias, animando-os na dura crise que atravessava a nação assegurando-lhes a proteção divina em virtude das promessas feitas a Davi. Após o ano 700 perdemo-lo de vista. 
Isaias é um dos profetas maiores. 

O capítulo 6 do livro informa sobre o chamado de Isaias para torna-se profeta através de uma visão do trono de Deus no templo, acompanhado por serafins, em que um desses seres angelicais teria voado até ele trazendo brasas vivas do altar para purificar seus lábios a fim de purificá-lo de seu pecado. Então, depois disto, Isaias ouve a voz de Deus determinando que levasse ao povo sua mensagem. 

O Profeta denuncia o comportamento dos ricos e latifundiários (fazendeiros) dos que vivem em grandes festas custeadas pelo trabalho dos pobres, dos que exploram o povo negando-lhe a justiça e dos que se fazem grandes e importantes vivendo em grandes banquetes (Isaias 5:8-24) ai dos que juntam casa a casa, dos que acrescentam campo a campo até que não haja mais espaço disponível, até serem eles os únicos moradores da terra. Na época de Isaías, as pessoas frequentavam o Templo, mas para o profeta isso não basta, pois encher o Templo com iniquidade e solenidade é um erro enorme (1:10-20), isso porque as pessoas que levam oferendas para Deus são as mesmas que não se importam em fazer o direito funcionar, que não fazem justiça ao desprotegido órfão e à abandonada viúva. Isaias defende, com paixão, órfãos, viúvas, oprimidos, o povo explorado e desgovernado pelos governantes, e pede aos príncipes de Sodoma e ao povo de – na verdade, de Jerusalém – para ouvirem a palavra de Iahweh. (Isaias 1:10-20 Contra a Hipocrisia).

Isaias é o profeta quem mais fala sobre a vinda do Messias. Por isso, um dos capítulos mais marcante do livro seria o cap. 53 que menciona o martírio que aguardava o Messias. “Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras, fomos sarados”. (Isaias 53:5).  

Os campos estão brancos para ceifa. O Senhor da seara conta conosco.

Pr. Washington Pinheiro Serafim
ADMC - Congregação de Porto Carreiro
Dirigente da Congregação